Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.
EFLORESCÊNCIA
Faça a manutenção e evite a degradação da sua edificação
 
 
           É melhor evitar a eflorescência nas fachadas, paredes e tetos.. Não deixe que água penetre nos materiais cimentícios. Faça uma manutenção preventiva eficiente, substitua as cerâmicas e/ou placas de granito com fissuras ou quebradas nas fachadas e paredes, se houver juntas "abertas" (fissuras ou rachaduras) está na hora de fazer a manutenção e conservação.
            No teto das garagens é muito comum encontrarmos eflorescências, estas degradam as ferragens da estrutura da laje do teto, pois havendo o descascamento da superfície da camada de cimento que protege as ferragens, faz com que estas fiquem expostas e oxidadas. Havendo a degradação do concreto e a corrosão das armaduras, poderá ser que haja necessidade da recuperação estrutural da laje. Verifique a impermeabilização e as canalizações do pavimento superior.
 
Nota: Se notar que o nível de degradação nas fachadas pela eflorescência está intensa, está na hora de consultar um arquiteto ou um engenheiro.  Lembre-se que estas podem ser removidas fazendo uma limpeza com ácido acético, mas talvez será necessário fazer uma nova camada de revestimento. Lembrando que a eflorescência poderá surgir novamente, então é primordial também que se descubra por onde a água está infiltrando.
 
 
Existem diferentes tipos de eflorescência na cerâmica

1. De matéria prima, quando há presença de sais solúveis na argila utilizada na produção do produto.·.
2. De secagem, que ocorrem durante o processo de secagem do material. As pecas já saem esbranquiçadas da estufa onde ocorre uma possível existência de sulfato no ambiente do secador.·.
3. De queima, que ocorre ainda quando o material esta no forno. Pode ocorrer por contaminação da argila ou do combustível utilizado na queima.·.
4. Do cimento, geralmente o cimento utilizado para assentamento possui em sua formula básica sais solúveis que em contato com a umidade da massa ou ambiental seguido da evaporação, são transportados para a superfície dos tijolos.
Fonte: https://ceramicasantaclara.wordpress.com
 
O que são Eflorescências (Wikipedia)

                São depósitos cristalinos de cor branca que surgem na superfície do revestimento, como pisos (cerâmicos ou não), paredes e tetos, resultantes da migração e posterior evaporação de soluções aquosas salinizadas. Os depósitos acontecem quando os sais solúveis nos componentes das alvenarias, nas argamassas de emboço, de fixação, de rejuntamento ou nas placas cerâmicas são transportados pela água utilizada na construção, na limpeza ou vinda de infiltrações, através dos poros dos componentes de revestimento. Esses sais em contato com o ar se solidificam, causando depósitos.
                Em situações com ambientes constantemente molhados e com algum tipo de sais de difícil secagem, estes depósitos apresentam-se com uma “exsudação” na superfície, aparentando então a cor branca nas áreas revestidas, comprometendo os aspectos relacionados à estética. Vale ressaltar que as placas cerâmicas e a argamassa possuem vazios em seu interior, como cavidades, bolhas, poros abertos e fechados, e uma enorme rede de microcanais. A água então pode passar para o seu interior por capilaridade ou mesmo por força do gradiente hidráulico.